quarta-feira, 1 de abril de 2020

Fechamento março/2020 - Mês do corona parte II

Olá, investidores. Algum sobrevivente por aí?
Que março foi este? Tivemos vários circuit breaker na Bovespa e nas bolsas ao redor do mundo. Assistindo ao noticiário parece que iremos dormir e no dia seguinte o mundo terá acabado. Sim, estamos passando por uma crise imensa, bem pior do que a crise imobiliária nos EUA em 2008. Agora a crise é mundial, e não está restrita a apenas um setor específico da economia. 

Quando este vírus começou lá na China em dezembro/2019, eu particularmente não imaginava que teria um impacto tão forte no restante do mundo. A priori, pensei que o impacto seria apenas na Ásia, mas pelo contrário, este vírus se espalhou de maneira jamais vista e atingiu o mundo como um todo. 

Governos começaram agir e impuseram lockdown, parando a economia em vários países. Apenas o essencial tem funcionado e onde eu moro tem até toque de recolher durante noite/madrugada. Parece um clima de guerra.

Há muitas críticas quanto à utilização do lockdown para evitar a propagação do vírus de forma exponencial, pois o efeito na economia poderá ser catastrófico, levando a um caos tanto na parte financeira quanto na parte social, com o aumento do número de desempregados e quebra generalizada de pequenas e médias empresas, principalmente.

Mas o que deveria ser feito então? Iríamos seguir normalmente com nossa rotina como se nada estivesse acontecendo, ficando a própria sorte?

Não faço ideia de quanto tempo esta crise irá perdurar. Um mês, um ano, dez anos? Como não sei a resposta vou continuar aportando todos os meses uma parte do meu salário. Entretanto, tenho pensado em reduzir um pouco os aportes e aumentar minha reserva de emergência, pois até o momento somente a iniciativa privada está pagando o pato com corte de salário e redução da jornada de trabalho. Acho que também poderá haver redução de salário e carga horária para servidores públicos, apesar da CF/88 vedar: “o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis”. 

Vamos ao fechamento de março/2020!

Parte I - Renda Fixa
Composição da carteira

Aporte no mês: compra de um título IPCA+ 2045
Rentabilidade carteira Renda Fixa no mês: -8,31%
Rentabilidade do CDI no mês: 0,33%
Rentabilidade da carteira desde julho/2017: 20,81%
Rentabilidade do CDI desde julho/2017: 18,50%


Conclusão: em março recebi uma LCA que rendeu 0,44% a.m. pelo prazo de um ano. Reapliquei em Tesouro Direto IPCA+ 2035 e +2045 e também comprei um pouco em ações. 
Como boa parte da carteira de renda fixa está alocada em títulos de longo prazo e devido à elevação das taxas dos títulos públicos já era de se esperar uma nova queda. Assim, esta carteira apresentou uma rentabilidade de -8,31% e o título com maior desvalorização foi o IPCA+2045 com -20,15%. Ah, ia me esquecendo que houve mais uma redução na taxa Selic de 4,25% para 3,75%a.a.

Parte II - Ações
As compras foram realizadas em: BBDC3 (54 ações), ITSA4 (36 ações), IRBR3 (164 ações), ENBR3 (139 ações) e PARD3 (15 ações).


Rentabilidade da carteira Renda Variável no Brasil: -28,70%
Rentabilidade do IBOV no mês: -29,90%
Rentabilidade da carteira desde junho/2017: 19,39%
Rentabilidade do IBOV desde junho/2017: 16,44%
Proventos recebidos no mês: R$ 431,71


Mico do mês: todas as ações em carteira caíram. A que teve pior desempenho foi a Estácio (YDUQ3) com -57,28%. 

Conclusão: É a crise chegou!! Lado positivo? Agora poderei comprar lote padrão de ações novamente rs. Meus aportes não estavam conseguindo comprar mais praticamente nada. As ações em carteira de maneira geral estavam rompendo topo histórico e o número de ações compradas estava cada vez menor. Lado negativo? A carteira levou um belo tombo novamente e fechou março com rentabilidade negativa de -28,70%. Momentos de euforia e de pânico fazem parte do jogo. Não quero fazer parte da estatística de comprar no topo e vender no fundo, assim seguirei com minha estratégia de comprar todo mês um pouquinho, mesmo se for necessário diminuir os aportes momentaneamente.
Adicionei a empresa IRBR na carteira. Ela estava no meu radar há um bom tempo e devido a queda pós carta da Squadra, boato sobre o WB comprando ações da empresa, renúncia do CEO, e por fim, Corona vírus, a empresa caiu -70,89% em março e decidi adicioná-la na carteira. De início irei deixar uma posição pequena na carteira e aguardar os próximos resultados, tendo em vista que uma nuvem negra paira sobre a empresa.

Parte III – Carteira consolidada
Rentabilidade da carteira no mês: -17,69%
Rentabilidade da carteira desde junho/2017: 12,08%
Carteira dividida em: 40% RV e 60% RF


Conclusão:
Patrimônio total em março fechou em R$ 259k, representando uma queda de R$ 57k em relação ao topo ocorrido em janeiro deste ano. Ambas as carteiras têm sofrido com esta crise. A carteira de RV já está no prejuízo e a carteira de RF por enquanto está no lucro, mas pelo andar da carruagem... 

That's all folks!!

Link para download da planilha: https://sites.google.com/view/dlombelloplanilhas

18 comentários:

  1. Acho que seu texto foi o mais coerente do que tenho lido pela blogsfera ultimamente. De que adianta abrir tudo para depois colocar todos funcionário doentes de quarentena? Povo não entendeu ainda que estamos a um passo de um colapso do nosso sistema de saúde. Seja público, seja privado, não vai ter leito, muito menos UTI para quem precisar.

    Assim como você, tenho pensado mais na minha reserva de emergência que em oportunidades.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aportador
      Realmente se todos ficarem doentes ao mesmo tempo, não há sistema de saúde no mundo que dê conta de atender a todos.
      Obg pela visita.

      Excluir
  2. Concord veementemente com o texto e o frugal, tá na hora de ficar em segurança na saúde individual e coletiva e não em segurança financeira, afinal, somos "treinados" a entrar no jogo com esse background excelente que você apontou.

    Att. Ir finanças

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IR,
      Do que adianta ter dinheiro e não ter saúde, né? É impossível recuperar uma vida, já o dinheiro temos chance de recuperar no futuro.
      Obg pela visita.

      Excluir
    2. Papinho petista este IR fale isso pra quem ta passando fome

      Excluir
  3. Estou começando a investir agora, e o corona veio para mostrar a importância da reserva de emergência.
    No começo estava me sentindo mal por não aproveitar o "desconto" da bolsa, mas blogs que nem o seu têm me ajudado a refletir sobre isso.
    um abraço!

    engordarmeuporquinho.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, PM
      Bem vindo ao mundo dos investimentos. Enfrentar logo no início uma crise não é fácil. Nos dá a sensação de que somos tolos por ter comprado quando o mercado estava em alta e de repente tudo muda para um mercado em baixa e com notícias de que o mundo está "acabando".
      Não deixe de aportar ao longo do tempo. Não sabemos até onde irá essa crise e qual será o fundo do poço. As ações estão sendo precificadas com a queda que haverá no lucro das empresas. Pode ser que não haja desconto nenhum.
      Obg pela visita.

      Excluir
  4. Para mim está complicado a quarentena de várias formas, mas entendo que é um período difícil e bola para frente...
    Além da bolsa caindo, eu tenho outros problemas:
    - Inquilinos físicos não pagando aluguel;
    - Meu negócio envolve lazer, logo não essencial, logo fechado;
    - Meu emprego de CLT dispensando funcionários, reduzindo carga horária;
    Cenário de guerra...mas guerras umas hora acabam. Nunca fez tanto sentido agir de forma frugal e contida.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Semeador
      Momento é realmente difícil, mas não desanime e bola pra frente. Meu maior medo é de trazer este vírus pra dentro de casa e contaminar os velhinhos aqui. Continuo indo trabalhar na empresa (uma parte do meu trabalho consigo fazer home office, mas outras coisas não). Além disso, continuo indo ao mercado e ao longo do dia tenho contato com pessoas que não conheço. Aí no final das contas o psicológico acaba sendo afetado.

      Excluir
  5. Olá Garota! Não venda suas ações...no longo prazo vão recuperar. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Beto
      Não penso em vender os ativos da carteira tão cedo :)

      Excluir
  6. Mês de muito aprendizado!! Seguimos firme no planejamento 🤑.

    Um beijo grande! 😘

    ResponderExcluir
  7. Sua exposição em RV tá maior que a minha e a queda foi menor! está selecionando bem seus ativos! Vamos cruzar os dedos e torcer pra sair logo dessa pandemia.
    Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tô pensando em refazer meu estudo com ETF (https://foconaif.blogspot.com/2020/01/e-seu-eu-tivesse-escolhido-um-etf.html) que se saiu muito bem no período de alta, para ver como ficaria a carteira nessa queda.

      Excluir
    2. percebi agora que seu patrimônio tb reduziu 57k. Estamos no mesmo patamar.

      Excluir
    3. Olá, Foco
      No início do ano minha carteira tava meio a meio em RF e RV. Com a queda ficou em 60% RF e 40% RV. Entretanto, boa parte da carteira de RF está alocada em títulos de longo prazo aí não tem como segurar rentabilidade já que os títulos de longo prazo se comportam praticamente como uma RV no curto prazo.

      Excluir
    4. Seria legal refazer o estudo sobre ETF.

      Excluir

Fechamento junho/2020 - mês de boa!